do more

Analisando de maneira crítica tudo o que fiz durante os anos que passaram, principalmente os mais recentes, fiz tudo o que poderia ter feito com o que tenho, sei e sou? Não. Não parei, mas não fiz mais do que os mínimos. Às vezes até fiz menos. E não admito isto com tristeza ou nostalgia, foi assim e agora não há nada que possa fazer para remendar o que passou, ou voltar atrás e reciclar esse tempo em que deixei andar ou andei em velocidade de cruzeiro. É assim e agora só posso começar a caminhar mais depressa e ir aumentando a velocidade até começar a correr. 

Há coisas que me assustam nisto de andar devagar. Por exemplo, eu quero ser mais do que um canudo, mais do que notas na pauta. Quero saber mais do que aquilo que espero um dia saber profissionalmente. E quero ser competente em coisas tão dispares como filmar, cozinhar, cultivar, conduzir, costurar ou falar outras línguas. Gostava de saber fazer o máximo que puder para não ter que um dia pedir ou pagar a alguém que o faça por mim. Principalmente se essas coisas forem algo que me interessa aprender e que me sejam úteis mais do que uma vez. E a aprendizagem, seja do que for, só é feita quando se dedica tempo à mesma. Tempo esse que por preguiça, falta de organização e típico "fica para amanhã" vai passando e sendo desperdiçado. O "não tenho tempo" serve de desculpa para muita coisa. E se é verdade que existe o sentimento de culpa quando se está a fazer algo que não tem assim tanta prioridade em detrimento do que se devia fazer primeiro, na verdade desde que esteja a fazer alguma coisa que contribua para os meus objectivos, mesmo aqueles menos prioritários, já é bom. Mas perder tempo não fazendo nada, ocupando-o com algo que não vai tornar melhor a minha vida e que só serve para entreter ligeiramente, é como jogar Sims e pôr o boneco a ver televisão para aumentar o seu humor sem que isso contribua para aumentar nenhuma das suas skills.

Por isso, espero daqui a uns tempos voltar a ler isto e não me reconhecer. Espero ter feito alguma coisa todos os dias, seja ela significativa a nível profissional ou não. Espero ter dito que "sim" e "vamos" mais vezes. Espero ter aproveitado o tempo para fazer mais.

Casey Neistat

3 comentários:

  1. Gosto sempre imenso de ler os teus textos e identifico-me muitooo. Acho que o caminho se faz caminhando e com o tempo, se quiseres, vais mudando isso :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada Manjerica. Espero que sim. :)

      Eliminar