fragmentar

Sempre tive tendência a fragmentar partes da minha vida e isso traduz-se no que partilho online. E, embora adore redes sociais, sinto que preciso de restrições nas mesmas porque há coisas que não vejo mal em partilhar com o mundo, outras que não me importo que os meus conhecidos vejam, algumas que as pessoas de quem gosto podem saber, e por fim, num grupo muito restrito, partes da minha vida que só a mim dizem respeito. 

O blogue é um desses fragmentos. Embora escreva muitos textos pessoais, não me sentiria bem a fazê-lo no mural do facebook ou a falar disso com algumas das pessoas que conheço. Aqui não me conhecem, não sabem a minha identidade e para o que isto conta, também não interessa saber. Por isso no blogue tenho um tipo de à-vontade que espero que dure o tempo em que goste de estar por cá. 

Por outro lado, o meu perfil do facebook é quase terra de ninguém. Vou lá todos os dias por causa do feed de noticias e pelo chat, mas não partilho grande coisa por lá e mudo de foto de perfil (por exemplo) quando o rei faz anos. O twitter segue o mesmo uso do facebook: foi um entusiasmo que começou em 2011 mas que perdeu a piada dias depois. Agora voltei a interessar-me por ele, mas tem a mesma função que o fb: ver os updates das pessoas que sigo. 

Por fim, o instagram. Gostei desta aplicação durante uns tempos, mas aos poucos deixei de a actualizar porque não gostava das fotografias que tirava e estava a tornar-se num daqueles instagrams cheios de palha. Além disso tinha a parte de ter amigos e conhecidos a seguirem-me, o que restringia um bocado as coisas pois não queria partilhar o que fazia ou por onde andava com alguns deles. Foi por isso que criei o instagram com o link no fundo desta página e que ainda está activo (por pouco tempo), o que acabou por não resolver o meu problema pois apenas pessoas dos blogues sabiam da sua existência. Com isto já vou em dois instagrams, e agora tenho um terceiro, ieei! Numa terceira e última tentativa, publico agora num outro instagram. É o primeiro perfil que tenho desbloqueado e que qualquer pessoa pode ver abertamente porque pensei "fuck this shit". Desde que eu goste, não vou estar restringida ao que quero ou não mostrar e não vou distribuir fotografias pelo instagram pessoal ou pelo do blogue. Vai tudo para este. Quem quiser seguir-me de neste novo deixe o seu nos comentários. Vou seguir algumas pessoas que já seguia no outro, por isso se virem um pedido de uma miúda com um username começado por R (que não é o meu primeiro, mas sim segundo nome) it's me.

2 comentários:

  1. por acaso tenho instagram mas acabo sempre por partilhar lá ao mesmo tempo que partilho no fb

    ResponderEliminar